Planejamento avançado da qualidade

Planejamento avançado da qualidade do produto é a base para a prevenção de falhas em potencial e para melhorias contínuas. O planejamento avançado da qualidade do produto inclui todos os passos do desenvolvimento até a produção em série. Foi desenvolvido para garantir que as peças de fornecedores estejam disponíveis na hora certa, lugar certo, e na quantidade e qualidade certa, e também com o preço acordado. A WIKA reserva-se ao direito de apoiar o planejamento avançado da qualidade do produto do fornecedor com relação aos projetos selecionados.

1. Desenhos / especificações / padrões
No momento do pedido, a WIKA providencia desenhos e/ou dados com o status da revisão ≥ 01. A concepção de ferramentas do fornecedor é baseada neste status e na análise de viabilidade para componentes críticos. As especificações indicadas nos desenhos são fornecidas pela WIKA.

Normas e especificações gerais aplicáveis
O fornecedor deve certificar-se que todos os documentos exigidos nos desenhos ou necessários para a fabricação estão atualizados.

2. Cronograma do projeto
O cronograma do projeto, se necessário, deve ser apresentado ao departamento de compras para projetos antes de se fazer um pedido. Isso inclui todas as etapas relevantes, prazos, documentos, e as aprovações do produto e do processo em desenvolvimento. Para cada fase do projeto, o fornecedor apresentará o cronograma ao departamento de compras para projetos espontaneamente.

3. Fluxograma do processo
O fluxograma do processo é uma representação gráfica do processo de produção completo estabelecida pela WIKA, sob consulta. É completada com uma descrição rápida das etapas específicas da produção e de teste.

4. FMEA
A FMEA (análise de modo e efeito de falha) é um método sistemático de análise para avaliar possíveis falhas e seus efeitos. É um know-how de memória de para escolhas rastreáveis. O fornecedor deve estabelecer um relatório de FMEA relacionado ao produto e deve ser atualizado frequentemente em relação às quantidades rejeitadas e reclamações. A WIKA aceita uma divisão em FMEAs relacionadas ao processo e produto. Se necessário, uma coordenação FMEA poderá ser feita pela WIKA.

5. Plano de controle
O plano de controle descreve os processos de controle do sistema e do produto listando as etapas específicas de teste, instrumentos de teste, frequência e documentação de teste. Inclui, entre outras, todas as características especiais (crítica/significante) que forem indicadas nos desenhos e especificações ou derivadas da FMEA. Estudos de capacidade de máquina e processo devem ser agendados quando necessários (veja ponto 9). O plano de monitoramento será solicitado, quando o pedido dos primeiros produtos for feito, se necessário.

6. Instrumentos de referência / equipamento de medição / análise do sistema de medição
Para garantir que as peças corretas são produzidas, é necessário escolher equipamentos adequados de medição. O fornecedor é responsável pela escolha, utilização e inspeção frequente dos equipamentos de medição. A adequação dos instrumentos de medição é verificada por meio de análise do sistema de medição. Se necessário, a WIKA pode enviar o formulário utilizado para esta finalidade ao fornecedor. Instrumentos de referência são fabricados em coordenação com a WIKA. O fornecedor tem que garantir que as propriedades dos clientes permanecem intactas e são armazenados adequadamente. O monitoramento dos equipamentos de medição é de responsabilidade do proprietário.

7. Rastreabilidade
Para garantir rastreabilidade até a entrada de produtos, o fornecedor deve garantir que todos os materiais e peças são marcados e toda etapa de produção pode ser identificada claramente. A marcação providencia informação de qual material foi utilizado, o número de artigo, quantidade, número de lote, data de fabricação, status de fabricação, assim como as inspeções feitas durante o processo, com o relatório de especificação correspondente. Este sistema de documentação garante a localização de todos os produtos. Em coordenação com o comprador responsável, o tamanho máximo de lote é definido e pode ser delimitado levando se em consideração os aspectos econômicos e riscos inerentes. A WIKA reserva-se ao direito de especificar o tamanho de lote máximo delimitável.

8. História de peças
A WIKA recomenda aos seus fornecedores para estabelecer um histórico de partes incluindo todas as modificações do material, produto, ferramenta e processo, e assim como a data de uso (número de lote / data de entrega) para cada número de artigo que será utilizado na produção em série. Após conferência com WIKA, as peças que pertencem à família de produto também pode ter um histórico resumido. Contudo, a WIKA reserva-se ao direito de requer um histórico de peças separado para projetos específicos. A WIKA pode solicitar o histórico de peças ao fornecedor em qualquer momento e sem restrições.

9. Testes de funcionamento
O fornecedor deve realizar todos os testes de funcionamento, conforme os desenhos e as especificações relevantes, como parte da inspeção da amostragem inicial.

10. Avaliação de capacidade de máquina e processo
Antes da primeira inspeção, o fornecedor deve realizar avaliações de capacidade de máquina e processo, conforme o critério marcado no desenho. As metas CMK/CPK são definidas pela WIKA no relatório de inspeção da amostragem inicial dependendo do processo a ser avaliado.

11. Manutenção preventiva
O fornecedor está obrigado a garantir um procedimento para manutenção preventiva, por meio dos quais, pode garantir a capacidade de fornecimento a qualquer momento. Este plano inclui, entre outros, os seguintes pontos:

  • Equipamentos para manutenção / reparos
  • Armazenamento e revisão
  • Montagem e remontagem
  • Programa para troca de ferramentas desgastadas

Se uma destas tarefas for designada a um subfornecedor, o fornecedor deve estabelecer um sistema de controle e rastreabilidade. Deve ser garantido que uma ferramenta possa ser atribuída ao seu proprietário durante o processo todo.

12. Plano de emergência
Um plano de emergência deve ser desenvolvido para os processos que influenciam a capacidade de fornecimento, (por exemplo, ferramentas especiais / máquinas “gargalos” /dispositivos de teste / fornecimento de peças de reposição / equipamentos de máquinas e medição / interrupção de energia, gás ou água).

13. Produtos fornecidos pela WIKA
Para produtos e embalagens fornecidas pela WIKA, o fornecedor realizará uma inspeção de recebimento, durante a qual, as peças fornecidas serão inspecionadas por quantidade, identidade e danos visualmente reconhecíveis. Requisitos de inspeção serão coordenados pela WIKA.

14. Protótipos e peças de pilotos
Todos os protótipos e peças pilotos devem ser marcados claramente e suficientemente conforme o status de desenvolvimento ilustrado. Uma Amostra “A” (protótipo) = produtos e materiais os quais não foram fabricados totalmente sob condições de produção de série. Uma Amostra “B” (peça piloto) = amostra que ainda não foi fabricada utilizando os equipamentos e procedimentos providenciados para a produção em série e/ou parcialmente sob condições de produção em série.

15. Auditoria de processo
A WIKA realiza auditorias de processo baseadas na lista de controle WIKA, nas premissas dos fornecedores. A auditora de processo é agendada em coordenação com o departamento responsável do fornecedor. A WIKA pode realizar a auditoria de processo no escopo da inspeção da amostragem inicial (por exemplo, novo fornecedor). Quando a auditoria for finalizada, o fornecedor será informado sobre o resultado da auditoria entre uma semana útil, mas a informação será geralmente dada no dia da visita. Se o resultado necessita de medidas de melhoria, o fornecedor deve elaborar um plano de ação e enviá-lo para o auditor da WIKA no período combinado. A auditoria de processo inclui os estudos de capacidade, a observação de prazos de entrega, documentos para a inspeção da amostragem inicial e um planejamento avançado da qualidade do produto. Opcionalmente a WIKA realizará uma auditoria de processo conforme VDA 6.3 (veja fornecimento em série de elementos, ponto 7 (6), auditoria de processo).

16. Aquisição de dados dos materiais
Se solicitado pela WIKA, a aquisição de dados dos materiais será parte da inspeção de amostras. O fornecedor inserirá os dados necessários no sistema e os disponibilizará para a WIKA, sem custos. Além disso, o fornecedor deve apresentar um programa de disposição ou reciclagem dos materiais.

IMDS (International Material Data System / Sistema internacional de dados de materiais)
O termo IMDS descreve um sistema de gestão para o armazenamento, intercâmbio e gerenciamento, da indústria automotiva. Na base deste sistema, uma folha de dados do material é criada indicando todos os materiais utilizados para um componente junto com os componentes proporcionais de material e assim como todos os dados necessários para reciclagem posterior das peças do veículo.

REACH (Registration, Evaluation, Authorisation and Restriction of Chemicals / Registro, Avaliação, Autorização e Restrição de Produtos Químicos)
REACH é uma regulamentação dos produtos de químicos da EU, que entrou em vigor 1º de junho de 2007. Como regulamentação UE, a REACH é aplicável igualmente e diretamente em todos os seus Estados membros.

RoHs (Restriction of the Use of Certain Hazardous Substances / Restrição de Determinadas Substâncias Perigosas)
A diretiva CE 2002/95/CE na restrição de determinadas substâncias perigosas em equipamentos elétricos e eletrônicos regulariza o uso de substâncias perigosas em instrumentos e componentes. Esta diretiva e sua transposição numa Lei nacional são designadas com a abreviação RoHS.

17. Inspeção da amostragem inicial
A inspeção da amostragem inicial é a última etapa da peça piloto e sua transição para a produção em série. Inclui a inspeção final e aprovação de componentes para uso na produção em série. A amostragem inicial são produtos que já foram fabricados por meios de equipamentos para produção em série no local pretendido e sob condições do processo em série. Assim, deve ser garantido que os produtos fabricados pelo fornecedor cumpram todos os requisitos WIKA, conforme os desenhos e especificações. A amostra “C” (série zero) = amostra que foi fabricada exclusivamente por meios de equipamentos para produção em série sob condições respectivas. Componentes com um índice de 01 ou mais. A primeira inspeção será gratuita para a WIKA.

Relatório de inspeção da amostragem inicial
A WIKA disponibiliza o formulário para o fornecedor imediatamente após o pedido. O fornecedor preencherá o formulário. Se, forem utilizadas ferramentas de múltiplas cavidades, a inspeção de amostragem inicial seria realizada para cada cavidade.

Entrega de documentos e aprovação de peças
Todos os documentos preenchidos devem ser salvos em uma pasta que deve ser enviada por e-mail para o departamento de Compras .A amostragem inicial deve ser marcada antecipadamente ao envio para a WIKA, pois garante as partes as atribuições ao relatório de inspeção. O fornecedor não pode entregar quaisquer partes produzidas em série à WIKA até que elas aprovadas por escrito.

Amostragem posterior
A WIKA reserva-se ao direito de cobrar o fornecedor, pelos custos da amostragem, se a aprovação da amostragem inicial, não pode ser concluída devido à preparação insuficiente por parte do fornecedor.

18. Amostragem de referência
Uma amostragem de referência deve ajudar para alcançar o nível de qualidade necessário, o que é importante se os dados disponíveis são insuficientes ou não claros, e consequentemente, as peças não podem ser aprovadas.

A WIKA recomenda ao seu fornecedor que mantenha em arquivo, no mínimo uma amostragem de referência junto com os documentos da amostragem inicial. A amostragem de referência deve ser marcada como tal e possui as mesmas dimensões que as peças fornecidas. Salvo se combinado o contrário, o fornecedor deve manter uma amostragem de referência para cada cavidade de ferramenta ou processo.

19. Certificados de teste
Se requerido pela WIKA nos documentos de pedido ou na documentação técnica, a versão mais recente do certificado de teste deve ser estabelecida, conforme DIN EN ISO 10204. Exceções desta regra devem ser negociadas separadamente e devem ser documentadas no pedido. Os resultados de inspeção serão certificados por um departamento que é independente do departamento de fabricação e confirmado pelo um expert designado pelo fornecedor. Resultados de inspeção com base de testes específicos, por exemplo, testes conforme as condições técnicas especificadas no pedido fazem parte do certificado de teste. Para determinar se as partes cumprem os requisitos especificados no pedido, os valores nominais e atuais devem ser indicados claramente. Os valores nominais serão retirados da documentação técnica. O certificado de teste deve estar disponível para a WIKA em forma eletrônica no recebimento dos produtos.

20. Embalagem
A embalagem interfere diretamente na qualidade do produto e, portanto, deve ser escolhida juntamente com a WIKA após iniciada a produção em série. Se necessário, testes de transporte e embalagem devem ser agendados para verificar se a embalagem é adequada.

21. Período de retenção
Levando-se em conta o período de prescrição da responsabilidade do produto, é recomendado que o fornecedor mantenha o material por até 30 anos.

22. Requalificação
Requalificação é um controle periódico dos componentes fornecidos. Se for o caso, a requalificação será feita através do procedimento de auto-qualificação (VDA 2, 4.10). A extensão e frequência da requalificação devem ser programadas com o responsável do CQ da WIKA.

23. Peças e materiais padrão e de catálogo

  • Inspeção de amostragem de peças e materiais padrão => a inspeção de amostragem inicial não é requerida.
  • Inspeção de amostragem de peças e materiais de catálogo => somente sob solicitação especial pela WIKA

Contato

Você tem perguntas? Contate-nos!